Como a sua agência de viagens pode inovar

como a sua agência de viagens pode inovar

Agente, você acha que a sua agência está preparada para inovar? Ou melhor, você acha que precisa inovar?

Hoje, eu quero conversar com você sobre alguns termos que estão em alta e que fazem parte dessa onda de inovação. Mas fique tranquilo porque eu não vou passar tarefas mirabolantes e totalmente irreais. Tudo o que está aqui foi pensado para o seu negócio.

Então, sem enrolação, vamos começar!

Não adianta querer inovar se nem o “feijão com arroz” você está fazendo bem feito

Atualmente a inovação das empresas está no topo dos assuntos discutidos. Temas como os que coloquei abaixo inundam a internet:

  • Como inovar?
  • O que fazer para ter um negócio inovador? 
  • Quais novos métodos implantar?

E quando eu leio essas coisas, a primeira coisa que passa pela minha cabeça é que muitas empresas não estão fazendo nem o básico.

Mas o que eu quero dizer com isso? 

O básico, na minha concepção, é oferecer um atendimento que gera resultados, isto é, conversão, indicações e boas avaliações.

Também é básico ter processos que funcionam. Ou seja, se o seu marketing ocorre majoritariamente no digital, então esse canal precisa estar performando bem.

Se você não é capaz de analisar dados para entender a saúde financeira da sua agência, isso significa que você está perdido e o básico não está sendo realizado.

“Então eu não preciso me incomodar com sistemas e meios para inovar?”

Se você quer continuar tendo um negócio você não só precisa como DEVE. 

Mas o ponto é que você NÃO vai tentar instalar uma ferramenta porque um guru de marketing digital disse que ela é o futuro e que funciona. 

O que você vai fazer é olhar para dentro, para a sua agência de viagens. Mapear os processos que já estão acontecendo para encontrar falhas e cenários que podem melhorar. 

Faça o que for positivo para a sua empresa. Coloque em prática e análise resultados. Esse é o caminho!

Atualize o software 

Pegando o gancho do assunto anterior, uma coisa importante é essa atualização de software. 

Mas o que raios isso significa? Será que eu estou tentando te tirar do turismo para te levar para a área de tecnologia? Não, não!

Esse conceito é o ato de desaprender hábitos e de abandonar a ideia de que você é o dono da verdade. Ninguém é. 

Em palestra para o Fórum Panrotas 2022, Cristina Naumovs, falou exatamente sobre esse assunto. Ela disse que atualizar não é inventar um produto do zero, é estar preparado para atender a todos.

Aliás, vale dizer que o tema inclusão foi altamente discutido no Fórum, por isso é algo que você, como prestador de serviços, tem que se atentar. 

Saiba se comunicar com todos e saiba oferecer uma experiência de qualidade para todos.

Quer um exemplo disso? A sua cliente que tem uma esposa com certeza não quer chegar no hotel que foi escolhido e encontrar duas camas de solteiro, um chinelo 36 e um 44.

Elas querem e merecem uma experiência de casal, concorda? Garantir que todos terão essa oportunidade é parte dessa atualização do software. Pense nisso!

O que você acha vale pouco nos dias de hoje

Seguindo com os papos, agora eu quero que você entenda uma coisinha:

O que você acha vale pouquíssimo hoje em dia. 

Então, o que eu estou dizendo é que o que você sugere e pensa tem que ser totalmente invalidado? 

Nada disso. Até porque como agente de viagens você PRECISA ser capaz de sugerir, porém, essa sugestão não pode estar baseada apenas na sua experiência e no que você considera bom. 

Eu entendo que o ser humano tem suas opiniões e convicções.

E a tendência, quando estamos em uma conversa, é a de expor algumas dessas opiniões, às vezes com um senso de tentar convencer o outro a concordar. 

No entanto, esse tipo de caminho não pode acontecer dentro das suas negociações e atendimentos, já que estamos falando da viagem de outra pessoa e não da sua.

Portanto, você precisa exercitar o escutar. E confesso que às vezes eu sinto que é bobo dizer isso, mas muitas pessoas ainda não conseguiram colocar em prática a escuta ativa.

Em um mundo no qual todos têm algo a dizer o tempo todo, compreender e dar significado ao que você está escutando se tornou um desafio.

Citando diretamente Daniela do Lago para a coluna Uol Economia: 

“A gente não aguenta ouvir o que o outro diz sem logo dar um palpite melhor, sem misturar o que ele diz com aquilo que a gente tem a dizer. Como se aquilo que a pessoa diz não fosse digno de consideração e precisasse ser complementado por aquilo que temos a dizer – que é, claro, muito melhor”.

Então, a minha mensagem nesse blog post é bem simples: escute o seu cliente. Olhe nos olhos dele, não o interrompa e tenha certeza de que ele sabe que pode tirar dúvidas, que nenhuma pergunta é irrelevante. 

E aí, vamos colocar isso em prática?

People centric: as pessoas realmente importam

Acredito que não é novidade para você que ter uma empresa focada em pessoas é extremamente positivo.

E people centric é exatamente essa percepção de pessoas no centro ao planejar estratégias, tomar decisões e implantar ações.

Percebe que isso se conecta com o que eu falei antes sobre pensar em TODOS e se desapegar da sua verdade absoluta?

Mas eu não estou falando de colocar no centro só as pessoas que você atende, viu? Estou falando dos seus colaboradores também.

Afinal, funcionários satisfeitos querem entregar o melhor que eles têm. E lembre-se que as pessoas são mais importantes que os processos.

Por isso que um dos valores da Monde é: as pessoas realmente importam! 

Só que isso não pode ficar só no papel, né. Então a gente oferece ao time programas e benefícios que são encontrados em pouquíssimas empresas.

Também pensamos no cliente em todos os pontos, desde o produto que entregamos até a criação de um marketing relevante para os agentes de viagens. 

Mas agora me conta, o que você faz para ter uma agência de viagens mais people centric?

A sua agência seria indicada? 

E para a gente fechar esse conteúdo, eu quero que você responda nos comentários:

→ Depois de um processo de atendimento e depois de uma viagem, você tem certeza que o viajante indicaria o seu serviço?

Bom, se você tem certeza disso, perfeito, continue fazendo o que funciona.

Mas se você ficou na dúvida e acha que muitos dos clientes não indicariam, algo está errado. 

E é claro que a gente começa a caminhada para responder a essa pergunta com um pensamento, porém, é muito importante trazer para a realidade através de dados. 

Por isso eu deixo aqui uma recomendação de estudo de satisfação que é o NPS. 

Você pode entender mais sobre isso no conteúdo abaixo:

inovar com foco na experiência do cliente

Conclusão

Já chegamos ao final de mais um conteúdo, no entanto o seu trabalho não acabou. 

Continue estudando através do canal da Monde no Youtube e leia mais blog posts aqui mesmo.

Só para relembrar, nós falamos sobre a importância de trabalhar o people centric, como atualizar os seus pensamentos para elevar a experiência de todos, além da ideia de desapegar dos hábitos antigos para atender melhor.

E aí, gostou de tudo que você leu? Me conta nos comentários se foi útil e até a próxima. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo