Planejamento de redes sociais: 7 passos para a sua estratégia

planejamento de redes sociais

Voltei com um tema que todo mundo gosta de ler, sabe que gera resultados, mas pouca gente realmente aplica as dicas: redes sociais. 

Recentemente fizemos uma live super legal sobre Instagram com a Natalia Busato, diretora da ZZZ Tour. E, durante o conteúdo, eu percebi que muitas pessoas ficaram com dúvida no momento da criação de um planejamento para as redes sociais.

  • Por onde começar?
  • Quais pontos eu preciso colocar nesse planejamento?
  • Preciso de uma direção!

E é claro que eu decidi criar um blog post apenas sobre esse tema. Aqui você vai entender tudo, desde a definição do objetivo, até a análise de métricas.

Então, sem enrolação, vamos começar!

1- Defina o seu objetivo 

O início de toda estratégia precisa ser o objetivo, ou seja, quais resultados você espera ter em cada canal que está utilizando (Facebook, Instagram, Linkedin e etc).

Alguns exemplos são: engajamento, reconhecimento de marca, geração e qualificação de leads e vendas.

Claro que você não terá apenas um objetivo para cada rede social, mas a ideia é sempre fazer postagens que tenham um direcionamento. 

Isso quer dizer: nada de postar por postar.

Apesar das empresas apresentarem variações a respeito dessa definição, já que o público pode ser diferente, alguns objetivos são indispensáveis. Vou falar sobre eles agora!

1° objetivo: relacionamento/ engajamento

 As redes sociais proporcionam interação e relacionamento, concorda? Afinal, elas são utilizadas para que pessoas conversem com pessoas.

Por isso, as duas primeiras perguntas que você precisa responder são: 

  • Eu estou me relacionando com o meu público? 
  • E eu estou utilizando o poder dessas plataformas para me aproximar dos possíveis clientes?

Mas fica uma dúvida no ar sobre o que fazer para gerar esse relacionamento. E a resposta principal é: esteja presente de forma relevante!

“Mas Isabela, o que é, de fato, relevante para o público das redes sociais?” 

Eu gosto de dar exemplos para que as coisas fiquem bem claras, então olha só.

o que não postar nas redes sociais: imagem apenas com um bom dia

(Essa postagem não agrega em nada, pois, como podemos ver facilmente, ela não gera interação e não oferece nenhum tipo de ajuda).

o que postar nas redes sociais: imagem dando dicas de viagem

(Aqui, por outro lado, eu estou passando uma dica de viagem, além de oferecer uma informação complementar de valor – o link com dicas de outros pontos turísticos no Uruguai).

Percebeu a diferença entre as duas postagens? Aposto que sim!

Agente, você só se relaciona e cria engajamento com quem considera as suas postagens relevantes. Ou seja, se o seu público se identifica e gosta do material que você produz para as redes sociais, ele vai continuar acompanhando.

Até porque, pensa comigo, se você produz bons conteúdos, está sempre presente tirando dúvidas, interagindo e pedindo a opinião dos seus seguidores, você está se relacionando! E isso gera engajamento, já que os seguidores vão comentar, curtir e enviar mensagens.

Por isso, poste quando tiver algo relevante para falar!

2° objetivo: venda 

Sim, as redes sociais podem ser utilizadas como canais de venda. Mas para que isso aconteça, é necessário ter um planejamento bem feito e bem desenvolvido.

Vender através dessas redes significa unir o storytelling (contar uma história) com a chamada para ação (CTA). Isto é, em toda postagem classificada como de “venda”, você não pode simplesmente postar a promoção, impulsionar e esperar o resultado.

O ideal é que você conte uma história, ofereça um conteúdo relevante e, apenas no final, crie uma chamada para o leitor solicitar uma cotação ou visitar o seu site, por exemplo.

como vender nas redes sociais: post dando dicas e com CTA de venda no final
como vender nas redes sociais: post dando dicas e com CTA de venda no final

Nesse post da Sonho Real, o dado de valor/relevante foi colocado no texto como “informações sobre o destino”. Além disso, eles trabalharam a credibilidade da marca mostrando que os consultores estão em treinamento e, portanto, são capacitados para vender Mendoza.

No final a chamada para a ação é “nossos especialistas estão ainda mais capacitados e por dentro de todas as novidades. Consulte-nos para cotações”.

Acredite, utilizando essa estrutura nas postagens focadas em venda, os seus resultados serão melhores!

3° objetivo: credibilidade/reconhecimento de marca 

Esse objetivo é tão importante quanto os outros, afinal, as pessoas compram quando se sentem seguras.

Sendo assim, quanto maior o nível de credibilidade da sua marca, maiores as chances de vender.

E eu tenho duas dicas para trabalhar a credibilidade da sua agência de viagens nas redes sociais.

  • Poste feedbacks positivos;
  • Transforme o seu cliente em mídia.

Para a primeira ação, caso você ainda não tenha o hábito de ligar para pegar o feedback da viagem com o cliente, será necessário começar.

E ligar para entender como foi a experiência do cliente antes, durante e depois da viagem, ajuda a construir confiança na sua agência, pois mostra que vocês estão realmente preocupados com os seus viajantes. E isso é extremamente positivo!

Vale lembrar que mesmo um feedback com críticas é bom, pois ajuda a sua empresa a melhorar sempre.

Bom, a dica nesse planejamento é utilizar os elogios e depoimentos positivos como forma de construir a credibilidade da marca no meio online. 

Mas claro, lembre-se de sempre pedir permissão para divulgar o nome/dados de alguém.

E além do depoimento, transformar os seus cliente em mídia é uma estratégia superinteressante. Isso significa compartilhar (com permissão) fotos que eles tiraram em viagens feitas com a agência.

Com isso, você movimenta as redes sociais, aumentando o reconhecimento da sua marca, e ainda constrói uma imagem mais humana e confiável para a sua empresa.

post com feedback do cliente aumentando a credibilidade da agência nas redes sociais

(A ZZZ Tour publicou um vídeo com imagens enviadas por um casal de clientes e adicionou um depoimento bem legal. Isso é transformar o cliente em mídia e mostrar como eles estão satisfeitos com a agência).

2- Métricas de vaidade nas redes sociais

Eu não posso deixar de falar com você sobre esse tema, pois eu vejo que a mentalidade de muitos agentes de viagens nas redes sociais está voltada totalmente para a análise dessas métricas.

Mas o que são as métricas de vaidade?

Elas representam informações que não são estratégicas, sendo assim, não te ajudam a tomar decisões.

Quer um exemplo para ficar mais claro? Número de seguidores/curtidas.

Eu sei que a prática de comprar seguidores e curtidas nas redes sociais não é incomum. E isso prova que as pessoas estão olhando para o ponto errado e, consequentemente, não terão os resultados esperados.

Vamos imaginar que você entrou em um site e comprou seguidores, mudando da noite para o dia o tamanho do seu público no Instagram.

Entretanto, esses seguidores não engajam com as suas postagens, não se relacionam com o seu perfil e não pedem orçamentos. Você concorda que isso não gera nada de positivo, já que é apenas um número ali no perfil?

Em outras palavras, as métricas de vaidade podem tirar o seu foco do que realmente importa! 

Eu citei no bloco anterior alguns objetivos importantes e nenhum deles é:

  • Chegar a 5 mil seguidores;
  • Ter 2 mil curtidas na minha fanpage;
  • Conseguir 300 likes em cada publicação.

Porque isso é apenas vaidade.

Mas calma, não me entenda errado! Você pode olhar para esses pontos como consequências positivas das estratégias aplicadas, porém, nunca deve pensar apenas neles.

Pois é muito importante que as suas análises sejam norteadas por perguntas alinhadas com os seus objetivos. Como:

  • Minha agência está recebendo pedidos de orçamento através do Facebook/Instagram? (Alinhado com o objetivo “venda”);
  • Em postagens de enquete e pergunta, os seguidores estão interagindo? (Alinhado com “relacionamento/engajamento);
  • As minhas postagens têm um bom alcance? (Alinhado com “reconhecimento da marca”);
  • Minhas postagens com CTA indicando “link no perfil” estão resultando em cliques no link da bio? (Alinhado com “engajamento”).

Percebeu que para analisar métricas relevantes você precisa, primeiro, compreender que os seus objetivos não podem focar em vaidade?

Acredite, não adianta ter um Instagram com 20 mil seguidores que não gera um pedido de orçamento sequer. Lembre-se: curtidas não pagam as contas.

curtidas nas redes sociais não pagam contas: gif "é verdade"

Tendo em mente o que você quer alcançar com cada postagem e como isso vai ser positivo para a sua agência, você volta a sua atenção para os fatores certos!

3- Linguagem nas redes sociais 

Isso mesmo, saber a linguagem que você vai utilizar nas redes sociais faz parte do planejamento.

E, agente, esse fator está muito ligado a imagem e a mensagem que você quer transmitir.

Trouxe alguns pontos que podem te ajudar a definir essa linguagem/imagem. Pense:

  • Linguagem formal ou informal? (saber a faixa etária do público que consome os seus materiais pode te ajudar com isso);
  • Informação ou interação? (claro que você pode mesclar essas duas frentes de conteúdo, mas é interessante que uma se destaque para que as redes sociais da sua agência de viagens tenham uma identidade);
  • Legendas longas ou curtas (faça testes para entender se o seu público engaja com textos longos ou se preferem um conteúdo bem “enxuto”. Lembre-se que os mercados são diferentes, logo, as pessoas podem querer uma leitura curta sobre um produto A e um texto com mais informações sobre um serviço B).

Bom, planejamento não é tão simples, né? Mas vamos para o próximo passo para que a sua empresa arrase nas redes sociais.

4- Calendário de postagens para as redes sociais

Para essa parte do nosso planejamento, nós precisamos retomar os objetivos definidos anteriormente. Isso porque você precisa ter um foco em cada publicação, como eu já disse.

Os três pontos que nós definimos como importantes para a marca foram:

  • Relacionamento/Engajamento;
  • Credibilidade/Reconhecimento de marca;
  • Venda.

Pensando nesses objetivos (e caso você tenha colocado outros, eles precisam estar aqui também), nós vamos dividir as postagens semanais buscando trabalhar com todos eles.

15 dicas pra bombar nas redes sociais

E vamos aos exemplos: 

Dia 09/06/20, às 10:30 

Publicação no feed do Instagram e Facebook sobre “Planejamento financeiro para viajar mais em 2021”. CTA levando para o Youtube, para o vídeo com todas as dicas. Postagem informativa. Objetivo: engajamento e interação!

Dia 10/06/20, às 9:15 

Publicações no story do Instagram e Facebook. Caixa de perguntas “Qual o próximo destino que você quer conhecer”. Objetivo: interação. Compartilhar respostas marcando o @ do participante.

Dia 11/06/20, às 14:20 

Publicação no feed do Instagram e Facebook sobre “Conheça Casapueblo, no Uruguai”. Com informações sobre o destino, o pacote que você oferece e CTA de venda – “Nossos consultores são especialistas no destino. Entre em contato e realize essa viagem dos sonhos com a Monde Turismo”. Objetivo: venda.

Dia 13/06/20, às 15:20

Publicação no feed Instagram e Facebook “Depoimento de cliente”. Fotos da viagem + feedback. Chamada para a ação levando para o blog “Temos um conteúdo completo sobre as maravilhas desse destino. Conheça acessando o blog da Monde Turismo. Link na bio!”. Objetivo: credibilidade/reconhecimento de marca.

Criei exemplos bem simples apenas para mostrar que você pode trabalhar todos os objetivos na mesma semana. 

A frequência de postagem depende muito de cada público e mercado. Falando com agentes que trabalham com redes sociais, a média de frequência no Instagram fica entre 3-4 posts no feed por semana + 1 publicação diária no story, pelo menos.

Só precisamos nos lembrar que as redes sociais são diferentes e concentram públicos diferentes. Sendo assim, testar e analisar o que funciona para a sua agência em cada uma é essencial.

Contudo, se quiser uma direção, trouxe os dados de um conteúdo desenvolvido pela Constant Contact sobre o tema. Olha só:

  • Facebook: mínimo de 3 postagens semanais. Máximo de 10;
  • Twitter: mínimo de 5 postagens por dia. Não tem um número máximo;
  • Linkedin: mínimo de 2 postagens semanais. Máximo de 5.

Mas, agente, lembre-se que aparecer é importante, mas com conteúdo de qualidade. Não adianta fazer 7 postagens no Facebook se elas não estão alinhadas com os seus objetivos, linguagem e não agregam valor ao público.

Faça o possível para estar presente, mas se for necessário reduzir o número de publicações para aumentar a qualidade, eu recomendo que você faça isso!

5- Planejamento de conteúdo 

planejamento de conteúdo nas redes sociais: gif gatinho digitando

Ahhh… Essa parte do blog post é maravilhosa. Eu amo falar sobre conteúdo.

Atualmente não existe uma estratégia de marketing que não tenha como um dos pilares o conteúdo. Ele é importantíssimo!

E, obviamente, eu não o deixaria de fora desse material, já que estou criando um plano estratégico que tem como base postar o que é relevante.

Então, vamos às etapas para essa parte do nosso plano nas redes sociais.

Definindo a persona 

O primeiro passo para a criação de conteúdo é saber quem é a sua persona.

Olha esse tema voltando, hein. Quem acompanha todos os conteúdos aqui do blog sabe que sempre abordamos esse assunto.

Isso porque a definição da persona é um passo muito importante, visto que ela representa a massa do seu público, ou seja, quem você quer atingir. Para entender mais sobre isso, clique aqui.

Para o plano que estamos criando, eu preciso que você entenda os seguintes pontos e pense neles antes de todos os posts que for fazer:

  • Quais dúvidas os seus clientes/consumidores têm que a sua agência pode responder? 

Por exemplo: você quer fazer um post sobre viajar para a Grécia. Ok, mas primeiro reflita: quais dúvidas esse texto pode responder? Quais são as perguntas que os viajantes fazem sobre esse destino (por exemplo: visto, documentação, melhor época para viajar)?

  • O seu público passa por alguma dificuldade que pode ser resolvida através do seu conteúdo?

A dificuldade pode ser o desconhecimento sobre um determinado destino.

  • E as principais necessidades. Quais soluções sua agência oferece para ajudar nesse fator?

O público tem necessidade de viajar todos os anos. Como sua agência pode ajudar com isso?  Por exemplo: materiais sobre planejamento financeiro para viajar.

Buscando temas 

Tenho uma dica de ferramenta para que você entenda o que as pessoas estão buscando e transforme isso em conteúdo de qualidade: o Ubersuggest.

Com site gratuito é possível pesquisar uma palavra-chave/tema e entender: 

  • O volume de busca, ou seja, se as pessoas estão interessadas naquele assunto;
  • Ter ideias de outras palavras-chave relacionadas que podem ajudar a criar novos temas;
  •  E, ainda, descobrir conteúdos já postados na internet para estudar a estrutura dos materiais com um bom número de acessos.
Ubersuggest: buscando temas para postar nas redes sociais

(Pensando em escrever um post sobre a Grécia para o Instagram e Facebook, eu pesquisei por essa palavra para conhecer o interesse das pessoas. Essa ferramenta é muito usada para blog posts, mas também serve para você ter um direcionamento de conteúdos nas redes sociais).

Conteúdo para educar usando as redes sociais

Não vou me estender muito nessa parte, pois já falei da importância de produzir conteúdo relevante. Aqui eu vou dar uma dica: crie conteúdos para educar o público!

E isso acaba nos levando para dois caminhos. 

1° Educar no sentido de entregar informações úteis, que irão agregar algo a vida do viajante.

2° Educar o mercado/os viajantes para que eles passem a entender cada vez mais o valor das agências de viagens.

Em outras palavras, quando você produz conteúdos relevantes, eles irão ajudar e, ainda, contribuir para fortalecer o mercado turístico aumentando a credibilidade dos agentes de viagem. Ou seja, todo mundo sai ganhando!

Reaproveite materiais 

Eu sei que muitas agências não contam com uma equipe de marketing e não têm tempo sobrando para cuidar das redes sociais. Por isso, a dica que eu deixo aqui é reaproveitar conteúdos o máximo possível.

Para isso, comece criando um material em vídeo. Isso porque é mais fácil extrair informações de vídeos e levar para outros canais.

Então, vamos imaginar você quer falar sobre a Grécia. Comece fazendo um vídeo, que vai ser o material base:

  • Tudo o que você precisa saber para viajar para a Grécia. (Youtube/conteúdo base);
  • 3 curiosidades sobre a Grécia. (Texto para o feed do Instagram e Facebook retirado do vídeo/ CTA levando para o vídeo completo);
  • Parte  1 – Curiosidades sobre a Grécia / Parte  2 – Documentação para viajar para a Grécia / Parte 3 – Quais pontos turísticos conhecer (vídeos para o IGTV, apenas dividindo em partes o que foi postado no Youtube).

Enfim, não deixe de aproveitar o seu excelente conteúdo! 

Terminamos o planejamento de conteúdo e já estamos indo para o final. Só mais um pouquinho, agente.

6- Patrocinar posts?

vale a pena impulsionar posts nas redes sociais? Gif com uma moeda

Deixei para falar sobre isso quase no final, só para causar suspense, rs.

Uma reclamação frequente de quem trabalha com redes sociais é que o alcance orgânico (número total de pessoas que viram uma publicação por meio de distribuições não pagas) está caindo. 

E isso é verdade, até porque, os anúncios são uma forma de renda para os “donos” das redes sociais. Em outras palavras, a distribuição de postagens sem impulsionamento cai justamente para que as contas comecem a investir.

Sendo assim, é importante que durante o planejamento você pense em quanto a agência pode investir para impulsionar posts.

O valor não precisa ser alto. Comece com 10 reais, por exemplo, em publicações com chamada para venda. Analise os resultados e, se for necessário, faça alterações no valor e na estratégia.

Não faz ideia de como impulsionar publicações? Os materiais abaixo vão te ajudar:

7- Analise os seus resultados nas redes sociais

Agente, não tem jeito, não tem como fugir… Analisar métricas é uma das partes mais importantes de qualquer estratégia.

E nas redes sociais isso não é diferente. Como eu já disse, não é postar por postar. Tudo é pensado e analisado para que os esforços tragam resultado.

Então, por favor, não deixe esse último ponto de lado. Estude as métricas da sua agência de viagens no meio online com frequência. Se mantenha atualizado para descobrir o que está funcionando no mercado e faça alterações na estratégia.

Enfim, não fique no escuro.

E eu trouxe algumas métricas que precisam estar no seu radar.

No Instagram:

  • Alcance (número de contas únicas que viram qualquer uma das suas publicações ou stories) e impressões (o número total de vezes que todas as suas publicações e stories foram vistos);
  • Interações (visitas ao perfil, cliques no site e cliques no e-mail);
  • Crescimento (quantas pessoas deixaram de seguir o seu perfil e quantas começaram);
  • Faixa etária e gênero (importante para saber qual o perfil do seu público);
  • Seguidores (saiba o tempo médio dos seus seguidores no Instagram e também os dias com maior número de acessos).

Todas esses dados ficam no botão “informações”.

No Facebook:

  • Ações na página;
  • Visualizações da página;
  • Alcance das publicações e stories;
  • Engajamento com a publicação;
  • Seguidores da página (o aumento no número de seguidores).

Esses dados também ficam na parte de informações dentro da fanpage.

Se quiser entender mais detalhadamente esse tema de métricas, leia:

Conclusão

Ufa, conteúdo longo, mas espero que útil para a sua agência de viagens. Tenho alguns materiais complementares que gostaria muito de recomendar para você.

E aí, curtiu o conteúdo? Deixe o seu comentário abaixo!

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo