Como a sua agência de viagens pode encantar através de histórias

Storytelling nas redes sociais

Você sabe o que é storytelling? É a arte de contar histórias!

Bom, há algumas semanas eu estava pesquisando por temas para trazer aqui no blog, estudando o que poderia ser útil para o mercado das agências de viagens. Pesquisa vai, pesquisa vem, acabei encontrando algumas palestras sobre storytelling.

Na hora eu percebi que poderia escrever sobre esse tema focando nas redes sociais, porque contar histórias cativantes é o melhor caminho para ganhar um público engajado no meio online!

Então, agente, se você quer aprender a estruturar bons textos que vão encantar de verdade, continue lendo. 

Vamos lá? 

O que é storytelling?

O storytelling é, basicamente, a arte de contar histórias. E parando para pensar, todos temos dentro de nós um contador de histórias. Quer ver um exemplo?

Há um tempo o pneu do meu carro furou e eu fui contar esse acontecimento para a minha mãe. Eu só precisava dizer: “o pneu do meu carro furou, acredita?”. Mas eu falei:

“Mãe, você não sabe o que aconteceu comigo. Estava indo ao mercado, naquele aqui perto de casa mesmo. Primeiro pensei em ir a pé pra fazer um exercício, mas depois deu preguiça e eu resolvi ir de carro. Também já era meio tarde a hora que resolvi sair, umas 19h. E sabe aquela rua que estava fechada pra alguma reforma semana passada? Tava aberta e eu passei por lá pra cortar caminho, mas eu caí num buraco tão grande que estragou o pneu do meu carro. Começou a murchar na hora, acredita? Liguei pro tio ir lá me ajudar. Sorte que ele atendeu e foi rapidinho”.

Quantas vezes vocês contaram um ocorrido dessa forma? Isso é algo natural do ser humano. 

E o interessante é que histórias criam conexão e memória afetiva. Ou seja, você pode (e deve) transformar as narrativas em estratégia para aproximar os consumidores da sua marca de forma positiva.

Sabe o que mais? Estamos em um bom momento para começar a aplicar esse posicionamento focado em criar relacionamento e fortalecer o nome da sua agência de um jeito relevante! Aqui você vai aprender a fazer isso com o storytelling.

Conteúdo relevante e o storytelling 

Sim, eu estou falando de novo sobre conteúdo relevante. Mas calma, eu não vou me estender a respeito desse tema aqui, pois temos muitos materiais completos que vocês poderão acessar depois de terminar esse blog post!

banner levando para o blog post de planejamento de redes sociais

Porém, para fazer um bom storytelling nas mídias sociais, você precisa entender que as pessoas estão mais exigentes e buscando conteúdos mais ricos.

E elas estão demonstrando esse comportamento justamente porque nós estamos vivendo um tempo muito louco: a desinformação na era da informação

A internet facilitou muito a nossa vida na hora de buscar todo tipo de informação, e isso é maravilhoso, já que nós temos o poder de aprender ao alcance das mãos.

No entanto, ela também deu às pessoas a chance de produzir e distribuir qualquer tipo de conteúdo (e cá entre nós, alguns desses conteúdos são bem ruins, né?). 

Então, para destacar a sua agência, você precisa adotar um posicionamento de conteúdo transparente, verdadeiro e rico, pois só assim os consumidores vão considerar a sua empresa relevante.

Segundo um estudo da We are Social, o engajamento em conteúdos mais longos e complexos está maior. E nas mídias sociais o engajamento é importante! 

Mas por que eu estou falando tudo isso? Porque eu já recebi muitas mensagens de agentes dizendo:

“Isabela, e se eu entregar muito e o consumidor pegar as informações e fechar a viagem por conta?”.

Não vou negar que isso pode acontecer. Porém, você precisa se lembrar que os consumidores não são todos iguais. Alguns vão apresentar esse perfil de fechar por conta e outros serão super fiéis à sua empresa. 

Mas para conquistar essa parcela fiel do público, você precisa cativar e oferecer valor através de todos os canais que expõem a sua marca: Instagram, Facebook, WhatsApp, Telegram… Enfim, em todos os lugares!

Minha dica é: entregue valor. Com isso você irá atrair o público certo e afastar o errado!

Materiais para se aprofundar no tema:

Conteúdo e viagens: como lucrar vendendo a sua experiência

Criação de conteúdo: ganhe visibilidade investindo pouco

Como fazer storytelling

Agora nós vamos fazer um exercício de voltar lá no ensino fundamental, nas aulas de português. Lembra quando o seu professor(a) explicou sobre os estilos de texto: descritivo, narrativo e dissertativo?

Aqui nós vamos falar sobre esse segundo estilo, o narrativo. Calma, não vai ser nada chato e complicado. Prometo que vou simplificar e ainda dar dicas importantes de escrita! Bora lá. 

Bom, voltando no básico do básico, uma história precisa ter começo, meio e fim, concorda? E dentro desse ciclo, conseguir encaixar um clímax, passagem de tempo e personagens, fará toda a diferença na criação da conexão. 

Vale citar que muitas pessoas têm boas histórias em mente, mas elas não conseguem criar boas narrativas. Esse pode ser o seu caso, um agente de viagens cheio de aventuras e experiências para contar, mas que tem dificuldade de passar isso para “o papel”. 

Se for o caso, lá vai a minha primeira dica: escreva todos os dias! 

Escrever bem exige um certo esforço, e quanto mais você escreve, mais você exercita essa arte de se conectar e transmitir ideias em textos.

Por isso, como exercício, pense em viagens que você já fez e escreva sobre elas como se estivesse contando para um amigo. Lembrando de acrescentar os fatores narrativos que citei: 

  • Marcar o tempo (quando você realizou a viagem);
  • Personagens (com quem você foi e quem você conheceu nos destinos);
  • E, por último, tente se lembrar do que você mais gostou para ser o clímax. O que te deixou mais maravilhado?

Quero que você faça isso de verdade, hein! Se quiser escrever e me mandar, eu vou ler com todo prazer. Meu e-mail: isabela.braga@monde.com.br.

Saiba em qual plataforma compartilhar o seu conteúdo 

Falei sobre a escrita, mas nas redes sociais você vai encontrar diversas maneiras de contar histórias: lives, vídeos para o IGTV, infográficos e etc. 

Por isso é importante pensar: essa narrativa que quero contar, vai fazer mais sentido em qual canal? 

Eu já vi lives que poderiam ser vídeos curtos para IGTV ou até uma série de stories. Às vezes o tema é interessante, mas a pessoa escolhe o canal errado para compartilhar, o que acaba tornando o conteúdo cansativo e, em alguns casos, menos relevante.

Como dizia minha professora na faculdade “não encha linguiça”. Ou seja, não tente estender um assunto por 40 min, se é possível oferecer um conteúdo rico e objetivo, faça isso! Use as mídias ao seu favor.

Use e abuse do Data Storytelling

Agora, agente, vou te mostrar uma postagem real!

Para isso, selecionei uma publicação super interessante da Amanda Borges (@lavaiamada) para falar sobre o Data Storytelling, formato que eu acredito que funciona muito bem para as agências de viagens. Olha só!

data storytelling feito no Instagram da Amanda Borges
data storytelling 2
data storytelling 3
data storytelling 4

O que a Amanda fez nesse post é o que chamamos de Data Storytelling. Ela usou dados (pesquisas) para criar nas pessoas um senso de urgência em começar o planejamento de viagens. 

Essa forma de postagem é extremamente relevante e passa muita credibilidade. 

Além disso:

  • Ela pensou no público: viajantes (está até com a hashtag ali para ficar bem sinalizado);
  • A finalidade está bem marcada: ela é uma agente de viagens e está, através de dados, convencendo as pessoas a começarem a planejar viagens. 

Com tudo isso, a agência cria uma memória na mente do público, o que significa que quando essas pessoas estiverem prontas para viajar, elas podem se lembrar da Amanda com mais facilidade, já que ela ativou um senso de urgência e criou conexão através de uma postagem!

Use também o truthtelling

O truthtelling, data storytelling, storytelling… Quanta coisa!  

Ficou confuso? São muitos nomes em inglês, né? Mas calma, porque vou fazer um paralelo para que você entenda a aplicação do truthtelling e do storytelling. 

No storytelling normal você tem a oportunidade de criar histórias totalmente fictícias, como aquela do pneu furado que contei lá em cima. Aquilo não aconteceu comigo de verdade, foi apenas um elemento narrativo que eu criei para uma exemplificação.

Já o truthtelling é uma história verdadeira. Claro que ela pode ter elementos aumentados, mas a base é real. 

E eu acredito que esse formato vai funcionar muito bem para as agências porque vocês, agentes, têm uma bagagem de experiências reais que podem ser compartilhadas. E as pessoas amam uma boa narrativa sobre viagens! 

Olha um exemplo que eu criei para um blog post sobre marketing humanizado:

storytelling sobre minha viagem para Floripa

Agora é a sua vez. Pense nas suas vivências e crie histórias!!

Briefing para a criação das suas histórias 

Para finalizar, vou recomendar alguns passos importantes na estratégia de storytelling. Afinal, documentar suas ideias e pesquisas iniciais para só depois desenvolver histórias, é o que vai garantir narrativas que façam sentido! 

1- Ouça as pessoas

É extremamente importante ouvir o que as pessoas estão dizendo sobre o seu conteúdo. Por isso, acompanhe os comentários e peça sugestões através das redes sociais. 

Minha dica: abra a caixa de perguntas no story e peça para mandarem temas. 

caixa de perguntas no Instagram para temas de storytelling

2- Encontre a sua persona 

Para quem você está contando a história? Qual o seu público-alvo?

Encontrar o seu tom de voz e a sua linguagem são pontos essenciais para criar histórias com identidade. Então, pense em alguns pontos:

  • Linguagem formal ou informal?
  • Histórias informativas ou relatos? (você pode mesclar os dois).

3- Trabalhe a autenticidade 

Pensando no seu público e na linguagem que você vai utilizar, a identidade já começa a ser criada. E claro, não preciso nem dizer, mas vou dizer mesmo assim: nunca copie uma história.

Crie as suas próprias narrativas. Seja autêntico!

4- Tenha um propósito 

Para encontrar o seu propósito, reflita sobre: 

  • O que será contado?
  • Qual a finalidade da história?
  • Qual meio será utilizado?

Em outras palavras, você precisa pensar no que irá contar já imaginando o formato, canal (Story, feed, Youtube) e também a finalidade, ou seja, o que você quer entregar e quais sentimentos você quer causar. 

Conclusão

Eeee acabou :( 

Espero que você tenha gostado das dicas! E lembre-se, não basta apenas ler, é preciso partir para a ação, pois só assim os resultados começam a aparecer.

Deixe suas dúvidas e sugestões nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo